quinta-feira, abril 26

Word-of-mouth o que é isso?



Palavra-Boca/ Boca-Palavra


O word-of-mouth é uma das mais poderosas ferramentas de marketing, sendo conhecido pela ação promocional mais eficiente e também a de menor custo.

O poder desta técnica reside no fato de ser realizada por consumidores verdadeiramente satisfeitos e dispostos a recomendar o produto ou o serviço que superou as suas expectativas. Além disso, o fato do aconselhamento ser feito de consumidor para consumidor torna a ação mais credível.


Apesar disso, é difícil perceber o seu verdadeiro alcance pois não é possível saber quais e quantas marcas as pessoas falam e como o fazem, em situações cotidianas e não monitorizadas por pesquisadores.

Na tentativa de responder a estas questões, a Keller Fay Group tem vindo a realizar uma pesquisa. Desde Abril, a empresa entrevista 100 pessoas diferentes por dia, pedindo-lhes que escrevam um diário, registando os produtos ou serviços que mencionaram, com detalhes sobre o que falaram e como falaram dessas marcas.

Em troca, os participantes recebem pontos que podem ser trocados por produtos e serviços em lojas e restaurantes. (o toma lá da cá do MKT) rs.

Seis meses e mais de 18 mil pessoas depois, a Keller Fay Group afirma-se como uma janela única para a mente dos consumidores.

O estudo permitiu concluir que, diariamente, um consumidor americano menciona cerca de 12 marcas, em conversas que tem com amigos, parentes, colegas de trabalho, etc, pessoalmente, por telefone ou pela internet.

As marcas mais comentadas pertencem às áreas de media e entretenimento, como filmes, programas de televisão, etc. Muitas pessoas falam também de marcas relacionadas com alimentos, viagens e lojas. Target, K-Mart, Sears, J.C. Penney, Gap, Victoria’s Secret e Wal-Mart são algumas das mais faladas.

Geralmente, as pessoas têm aspectos positivos a referir sobre os produtos e serviços, quando lhes pedem conselhos. Sendo as categorias de saúde & beleza e produtos para a casa as mais beneficiadas.

As marcas mais criticadas pertendem a empresas de serviços financeiros e telecomunicações.

Nos Estados Unidos, este tipo de marketing deixou de ser uma mera ação voluntária. Surgiu um novo modelo de promoção chamado Undercover Marketing que envolve a contratação de atores para comentar os atributos positivos de um novo produto ou serviço como se fossem consumidores comuns entusiasmados com a aquisição de uma marca.

Contudo, continua a ser uma abordagem informal e de baixo custo, comparativamente a outros meios de divulgação.

A Sony Ericsson foi uma das empresas que realizou uma acção deste género, em 10 cidades diferentes. Intitulada “Fake Tourist”, a campanha tinha por objectivo dar a conhecer um novo telemóvel que também tirava fotos. Os sessenta atores contratados fingiam ser turistas que abordavam os traseuntes para que estes lhes tirassem uma foto.

Desta forma, os potenciais consumidores experimentavam o produto.

A vantagem é que foi uma forma simples e barata de chegar ao público-alvo sem que a abordagem parecesse invasiva. O fundamental é que o público não perceba que se trata de uma acção planejada.

A actividade foi criada no país há relativamente pouco tempo e ainda não foi regulamentada, originando discussões acesas em volta do tema pois muitos consideram o método pouco ético.
Planejado ou não, o word-of-mouth é definitamente uma forma de projetar a marca e angariar novos clientes.


Bem pessoal, cuidado com as super recomendações dos amigos rs
Mas acho que todo mundo conhece bem os amigos que tem. rs

Estavamos na era da INFORMAÇÃO e agora entramos na ERA DA RECOMENDAÇÃO.


Bjocas e até mais, Ale

Nenhum comentário: