sábado, outubro 11

Sapatos e Mulheres Sedutoras

Este é ultimo post sobre o artigo: Os sapatos e as mulheres: uma relação de desejo, moda e marketing
As mulheres invadiram um mundo que as contemplava. No mercado de trabalho e nas mais variadas atividades, a Terceira Mulher (Lipovetsky, 2004), emerge socialmente para transformar suas relações com os homens. Aquela mulher cortejada e recatada, cujos sapatos eram de cristal, e cujo encanto terminava à meia-noite, desapareceu de cena.


As trilhas da pós-modernidade certamente são traçadas por pés femininos. Nunca antes, a visibilidade do corpo esteve tão em alta. Pura plenitude da imagem. Porém, fragmentar a sedução é impossível: olhos, olhares, cabelos, como a mão arruma o cabelo, partes corpo , corpo inteiro, charme.


Entretanto, em se tratando de sapatos, o que se pode destacar é que, segundo o olhar masculino, eles encobrem os pés e se encontram no começo das pernas. E sobre o imaginário das pernas femininas muito já se escreveu. Por exemplo, no filme “O homem que amava todas as mulheres”, de François Truffaut, o personagem afirma que “as pernas femininas marcam o mundo como um compasso que desenha belezas”. Por sinal o filme começa com suas dezenas de viúvas, no funeral, em planos de câmera que destacavam os sapatos também. A começar pela dança do corpo, com o toque ritmado dos pés no solo, a música do andar feminino emerge da visão daquela que anda com charme. Vibrações existenciais que marcham pelas cidades do mundo.


Uma mulher sempre sabe quando está chamando a atenção. A sedução começa pelos pés, quando há música e dança no movimento feminino. Aliás, quantos ritmos, modos de vida, visões de mundo e estados de espírito se revelam quando uma mulher escolhe um par de sapatos, e não outro, para cada momento de sua vida.


Mulheres de jeans e botas, salto alto e vestido, sandálias e mini-saia. Não importa o estilo. Sabe-se que as aquelas mulheres que sempre flutuam, inspiram as demais.

Os sapatos que as Musas usarem, poderão ser referência para aquelas que até desfilam e, certamente, estão no horizonte da inveja daquelas que apenas caminham.
Nietzsche ponderava que “a mulher começa a se tornar ressentida quando perde sua capacidade de seduzir”. Fica-se com a idéia de que uma mulher que sempre compra sapatos novos, recusa-se a perder tal capacidade. O cuidado de si é uma marca indelével do comportamento feminino.

O marketing e o cibermarketing estão falando com todas essas mulheres. Algumas não ouvem porque não entendem como necessidade e, outras, porque simplesmente não querem ouvir. Porém, todas elas querem ser Divas.
Mulheres de todas as idades sonham com sapatos. Homens de todas as idades sonham com mulheres sedutoras. O mercado de qualquer tipo de calçado sonha com mulheres que colecionem pares e mais pares. Na trama da sedução e do consumo, o sapato sempre é um argumento fundamental.
Referências:
ANDERSON, Chris. A Cauda Longa. O mercado de massa para o mercado de nicho. 2. Ed. Rio de Janeiro, Campus/Elsevier, 2006.
CALLAN, Georgina O’Hara. Enciclopédia da Moda. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
JACOBBI, Paula. Eu quero aquele sapato. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.
LIPOVETSKY, Gilles. Sedução, Publicidade e Pós-modernidade. In. A Genealogia do Virtual comunicação, cultura e tecnologias do imaginário. MARTINS, Francisco Menezes;
SILVA, Juremir Machado (Org). Porto Alegre: Sulina, 2004.
LURIE, Alison. A linguagem das roupas. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.
STEELE, Valerie. Fetiche. Moda, Sexo e Poder. Rio de Janeiro: Rocco,1997.
O’KEEFFE, Linda. Sapatos. Bonner, Colônia: Konemann, 1996.
JONES, Terry ; MAIR, Avril Mair. Fashion Now: i-D Selects the World's 150 Most Important Designers. 25a. Ed. Hohenzollerning: Taschen, 2007.
Bjks Ale

Nenhum comentário: