domingo, outubro 5

BLOGS e os sapatos

Os BLOGS...

O modelo do conceito de Anderson, cauda longa[1] - através dos nichos, subnichos e da propaganda boca a boca, ou na rede com a recomendação pode ser visto nos blogs, onde milhões de pessoas comuns são novos formadores de preferências, produzem o seu conteúdo, seu vídeo, sua música, divulgam seus desejos, suas roupas e sua moda.

Segundo Anderson, estamos evoluindo de um mercado de massa para uma nova forma de cultura de nicho, que se define agora não pela geografia, mas pelos pontos em comum. (2006, p. 38).

Esses pontos em comum encontramos na rede através dos blogs segmentados neste caso nos blogs que possuem como tema os sapatos. Para Anderson, os consumidores também atuam como guias individuais quando divulgam pela internet, em sites ou nos próprios blogs, suas opiniões sobre alguma coisa (Ib., p.54).

No buscador Google Blogs[2] encontramos os seguintes números:
Aproximadamente 219.684 blogs com a palavra sapatos.
Aproximadamente 668.608 blogs com a palavra calçados.
Aproximadamente 47.430.792 blogs com a palavra shoes.
Aproximadamente 14.617 blogs com as palavras sapatos mulheres.

Em breve pesquisa na rede encontramos inúmeros blogs sobre sapatos, fetiches por sapatos, pés, mulheres e salto alto, entre outros temas relacionados a moda, dicas, sugestões, cuidados com os sapatos, pés, a variedade de assuntos é ampla. Anderson, complementa
Foram os blogs que desencadearam a renascença da editoração amadora.

Hoje, milhões de pessoas lançam publicações diárias para um público que, no conjunto, é maior que o de qualquer veículo da grande mídia. Por sua vez, os blogs são conseqüência da democratização das ferramentas: o advento de softwares e de serviços simples e baratos que facilitam a tal ponto a editoração on-line que ela se torna acessível a todos. (Ib., p. 61).

Os blogs viraram “febre” e estão invadindo a rede diariamente são criados 1,5 por segundo são 80 milhões de blogs criados nos 2 primeiros meses de 2008[3], no mundo dos blogs os leitores deixaram de ser simples consumidores, saíram da passividade e passaram a atuar como produtores de conteúdo e opinião se tornaram ativos dentro dos seus nichos transformando-se em poderosas fontes de recomendação influenciando seu público gerando a propaganda boca a boca digital, uma conversa pública, que se desenvolve nos comentários, posts e links, imagens, vídeos e nos blogs.

Notas:
[1] A Cauda Longa ou "The long Tail" foi publicado na revista Wired, em outubro de 2004, o artigo se tornou a matéria mais citada em todos os tempos. As três principais observações : 1) A cauda das variedades disponíveis é muito mais longa do que supomos ; 2) ela agora é economicamente viável ; 3) todos esses nichos, quando agregados, podem formar um mercado significativo – pareceram inquestionáveis, sobre tudo com respaldo de dados até então desconhecidos. (ANDERSON, 2006, p.10).
O conceito "Long Tail" foi criado em 2004 pelo jornalista Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, a expressão surgiu por causa do gráfico matemático que lembra uma "cauda longa" e demonstra que a cultura e a economia estão rapidamente mudando seu foco - de um relativamente pequeno número de hits (produtos que vendem muito no grande mercado) para um grande número de produtos de nicho. Anderson lançou o livro "Long Tail" nos Estados Unidos, no qual explica a teoria. A obra, foi raduzida como A Cauda Longa ( Editora : Campos/Elsevier), é foi lançada no Brasil em agosto de 2006.
[2] Disponível em : http://www.google.com.br/blogsearch?hl=pt-BR&q=sapatos&lr= Acesso em 20 abr. de 2008.
[3] Fonte : Sebrae/Brasília.


Referências:
ANDERSON, Chris. A Cauda Longa. O mercado de massa para o mercado de nicho. 2. Ed. Rio de Janeiro, Campus/Elsevier, 2006.
CALLAN, Georgina O’Hara. Enciclopédia da Moda. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
Amanhã tem mais...
Bjks Ale

Nenhum comentário: